Skip to content

“Toda pessoa tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal”

dezembro 13, 2010

Favela Livre: um blog para combater a lei do silêncio
Um blog que traz à tona histórias vividas por moradores oprimidos pela violência do crime organizado em favelas do Rio. Conteúdo produzido por jornalistas do GLOBO, pesquisadores e aberto à colaboração de moradores, que têm garantido o anonimato.

Relatos dramáticos de quem ainda vive sob o império do crime
Marcos, um jovem com pouco menos de 18 anos, foi surpreendido por três traficantes quando passava em uma viela da favela. Imediatamente começou a ser espancado. Socos, chutes, coronhadas deram início a gritos interminaveis. Até que, já caído no chão, um pisão no estômago o deixou tão silencioso quanto as poucas pessoas que testemunharam o crime.

Escondida atrás da porta de sua casa, Ana Maria viu pela fresta a sessão de tortura, em plena luz do dia, que resultou na morte de Marcos. Mas nunca tinha falado sobre esta ou sobre as outras atrocidades que presenciou desde que chegou à comunidade. Ela conta que ali, como em qualquer lugar dominado por quadrilhas, quem vê algo não tem outra escolha a não ser fingir que nada aconteceu.

— Já vi os bandidos pendurarem os meninos de cabeça para baixo para ir cortando pedaços aos poucos. Já vi eles passando com corpos em carrinhos de mão. Já vi quatro deles matar um rapaz e jogarem o corpo em um carro. Depois, ouvi dizer que ele era trabalhador, mas que estava devendo. Mas não sei se é isso mesmo. Procuro não me misturar. Assisto de longe, como quem não sabe nada, pois eles são muito abusados — diz, resignada, Ana Maria.

Por este motivo, a dona de casa — assim como todos os outros personagens desta reportagem — teve o nome trocado para que sua identidade fosse protegida. Ela conta que, por sorte, nunca teve problemas com os traficantes. E que poucas vezes teve que confrontá-los — uma vez, pediu para que um deles não ficasse em sua laje, e foi atendida. Diz também que fica indignada a cada vez que um crime é cometido na porta de sua casa. O problema é que a indignação vem, mas não tem para onde ir.

5 Comentários leave one →
  1. Guaracy Monteiro permalink
    dezembro 13, 2010 1:51 pm

    Na onda do WikiLeaks.🙂

  2. Claudio Versiani permalink*
    dezembro 17, 2010 6:40 am

    Os relatos são muito malucos…
    Não sei como o Globo checa a veracidade desses relatos.
    De qualquer forma, a vida desses brasileiros é um exercício de sobrevivência.

  3. karine permalink
    junho 17, 2011 12:44 am

    muito triste essas Histórias mas isso nos faz refletir sobre o que acontece no nosso país parabé´ns continui assim mostrando a verdadeira realidade do povo brasileiro

  4. outubro 29, 2011 9:16 pm

    Vejo que por mais liberdade que temos ” ao mesmo tempo não temos porque temos que figir que não ouvimos, não vemos, e não sabemos de nada para podermos ainda continuarmos fingindo que temos o direito da vida liberdade e segurança pessoal.

  5. agosto 2, 2012 2:07 pm

    isso e uma corvadia ese povo parece uns monstros *-*

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: